Missa de Antepassados

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest

Sobre Missa de Culto dos Falecidos

É um ritual feito para o repouso da alma dos falecidos. No budismo há o conceito sobre a vida levando em consideração a reencarnação, onde acredita-se que as pessoas passam pela repetição de várias vidas e mortes.

Passando 49 dias após a morte, há um julgamento realizado por 10 juízes sobre a conduta do falecido durante a sua vida. As boas ações e as más ações que praticou durante a vida são colocados na balança, e se inclinar para o lado de boas ações ele poderá ir ao paraíso (Mundo do Buda), mas se inclinar para o lado de más ações, cairá no inferno.

Através da oração dos monges e do ato de oferecer flores e incensos ao Buda e ao falecido, os participantes do ritual conseguem adquirir uma graça (energia positiva), ajudando o falecido para que a balança incline para o lado bom.

Depois de 49 dias, o falecido partirá em direção ao paraíso. Dependendo da inclinação da balança, a jornada de ida poderá ser suave ou rigorosa. 

O culto dos falecidos tem como finalidade ajudar o falecido a trilhar o caminho ao paraíso sem que se perca e vá com tranquilidade.

Karma e Ciclo de Reencarnação

Para a explicação de culto aos falecidos será necessário primeiramente entender o pensamento básico do budismo que é o Karma.

Desde a antiguidade, os homens procuravam a resposta pela origem e a razão da sua existência questionando: “Porque eu estou aqui assim?”.

Esta dúvida fez com que fossem criadas várias religiões e filosofias, surgindo diversos tipos de respostas, tais como: “Tudo foi criado por Deus Todo Poderoso”, “Tudo não passa de resultado de uma eventualidade”, “Tudo é determinado pelo destino”. No budismo prega-se a teoria da causalidade.

No Budismo prega-se a Lei da Causalidade. “Havendo uma certa causa e certa condição surge um certo resultado”. E se esta causa ou a condição desaparecer, o resultado também desaparecerá. A base desse pensamento é o Karma.

No Brasil, esta palavra é comum ser utilizado como a causa de coisas más. Porém no Budismo a palavra Karma indica a ação. Há a ideia de que a ação tem o poder de gerar o resultado. Portanto, no budismo acredita-se que através de um bom Karma, nasce um bom resultado, e do mal Karma, resulta na má consequência. É a atitude de si mesmo voltando para si próprio. O fato de no Brasil considerar mais a imagem negativa do Karma não será porque prevalece o sentimento que ela é a má consequência originada pela má conduta. 

Acredita-se que a energia do Karma não se perde com a morte. Isso faz pensar também no homem após a morte. No budismo, acredita-se que a alma passa a ter outra vida após a morte. Isso significa que existe uma outra vida antes desta vida.

O homem passa a vida repetindo a reencarnação, e isso tem continuado eternamente, e esse ciclo é chamado de “Rinne” (ciclo de reencarnação). E ainda o budismo considera esse ciclo de vida como um sofrimento, e passa pela provação objetivando sair desse ciclo, e a pessoa que consegue sair dele, é considerado Buda.

Três Karmas

O Karma é separado em três partes. 

  • O Karma de todos os movimentos do corpo;
  • O Karma pela ação das palavras;
  • O Karma pela ação do seu espírito. 

No Budismo prega-se que é importante se esforçar para afastar esses três Karmas negativos e continuar sempre praticando o Karma do bem.

Há uma parábola sobre isso que diz: “uma certa pessoa pergunta ao Monge o que é a essência do Budismo, ele responde que é para de praticar más ações e praticar somente boa. A pessoa indaga dizendo que todos sabem disso. Então o Monge simplesmente responde que é uma coisa fácil de entender, até para uma criança, mas difícil é colocar em prática mesmo se tornando um idoso.”

Kudoku (Mérito, Graça e Virtude)

Mérito é: “energia que tenta atrair consequências positivas que vem através de boas ações”. É a energia para uma vida feliz. Portanto todos devem praticar boas ações.

Como um dos meios de comunicação para isso, o Buda diz para fazermos caridade as pessoas. Nas palavras do Budismo isso se chama Fusegyô (ato de caridade). E nessas caridades existem três tipos.

  • 1) Doar os objetos de seu pertence como dinheiro, roupas, alimentos e etc para os outros.
  • 2) Doar educação e os ensinamentos do Budismo, ensinando coisas úteis para a vida.
  • 3) Doar a paz de espírito, como por exemplo conversar em tom amigável, oferecer ajuda para resolver algum problema, passando segurança e diminuindo a preocupação.

A terceira caridade qualquer pessoa é capaz de fazer, seria ideal que todos praticassem o bem. 

Porém há um detalhe que se deve tomar cuidado. Não esperar pelo reconhecimento e nem fazer por sentir pena da pessoa. O importante é estar com sentimento de ajudar aos que estão necessitados. Se a pessoa está sempre pensando que fez bastante, não significa ter sido uma boa ação. O mérito será adquirido se praticar o bem sem desejar recompensas e quanto mais continuar praticar as boas ações, o mérito crescerá e será cada vez mais feliz.

Ekô (Oração aos Falecidos)

Ekô é compartilhar o seu mérito acumulado para a facilidade dos outros. É importante que tenha sentimento de: “Dividirei o meu mérito com você e que você seja feliz também”. Nesse caso significa dividir o seu mérito acumulado para que o falecido repouse em paz.

Isso não significa que todo o seu mérito acumulado seja distribuído ao falecido. Certamente que restará o mérito para si também. Como foi citado anteriormente, no Budismo existe o pensamento que se baseia na teoria da causalidade. É o pensamento que explica que através de causas boas surgirá boas consequências e através de causas más surgirá as más consequências. Portanto Ekô (oração aos falecidos) significa semear a sua própria felicidade.

Além disso, dedicar a oração aos falecidos compartilhando o seu mérito acumulado não somente aos falecidos como também para a felicidade de todas as pessoas é a imagem ideal do aprendiz Budista. Quem coloca isso em prática perceberá que há também outras pessoas praticando o “Ekô” (compartilhamento do seu mérito acumulado para a felicidade de outros) e se conscientiza que sempre estará recebendo as boas energias dos outros.

Assim obterá a real sensação de que graças aos outros sempre está aumentando a sua felicidade e diminuindo a infelicidade. Com o aumento de pessoas com esse pensamento, gradualmente o egoísmo vai diminuindo e os homens entrarão em harmonia, partindo para o caminho da paz. 


Receba Recados Importantes do Tempo Kongoji

Grupo Exclusivo para receber

– Recados Importantes

– Datas/Calendário atualizado

– Avisos da diretoria

Siga o Templo Kongoji nas Redes Sociais